Negociações sobre concursos e vinculação extraordinária

Infelizmente, depois de várias reuniões e de uma reunião de negociação suplementar (que decorreu hoje durante todo o dia), não foi possível chegar a acordo com o ministério da educação, em virtude deste manter posições que não resolvem os principais problemas nos concursos de professores, designadamente a precariedade e a instabilidade profissional, quer dos colegas contratados, quer dos dos quadros.
Esperemos que, pelo menos, tenham a coragem de abrir o número de vagas de acordo com as reais necessidades das escolas. A promessa ficou e conseguiram os sindicatos melhorar bastante as propostas nefastas do ME, mas falta ainda tanta coisa...!

Publicitação das listas definitivas de Colocação, Não Colocação, Retirados e Lista de Colocação Administrativa dos Docentes de Carreira - 17ª Reserva de Recrutamento 2016/2017
 

Docentes de Carreira - ano escolar de 2016/2017

Candidatos à Contratação - ano escolar de 2016/2017

Lista definitiva de retirados - Consulte
A aplicação para aceitação estará disponível das 00:00 horas de segunda-feira, dia 23 de janeiro, até às 23:59 horas de terça-feira, dia 24 de janeiro de 2017 (hora de Portugal Continental).

A ASPL requereu a negociação suplementar alusiva à negociação dos diplomas dos concursos e da vinculação extraordinária. Desta forma, a associação pretende esgotar todas as possibilidades que a Lei n.º 23/98 de 26 de maio, lhe confere, para, em defesa dos legítimos interesses dos docentes, alterar positivamente as propostas dos diplomas em apreço. A reunião terá lugar no dia 20 de janeiro, às 10 horas, no Ministério da Educação.

No seguimento da reunião negocial do passado dia 13 de janeiro, o Ministério da Educação (ME) enviou a nova versão do projeto de alteração ao Decreto-Lei n.º 132/2012, bem como da Portaria de vinculação extraordinária. Infelizmente, não foi possível à ASPL chegar a acordo com a tutela, pelo facto das propostas apresentadas pelo ME serem insuficientes para a pronta resolução dos principais problemas dos concursos dos professores e educadores.

Incompreensível e inaceitável
Ministério da Educação (ME) insiste em não querer resolver os problemas existentes no regime de concursos de Professores e Educadores
 
A ASPL lamenta e critica com veemência esta atitude inflexível do ME, alertando a tutela para as graves consequências que advirão, se as alterações agora propostas pelo ME avançarem.
Leia na íntegra o Comunicado da ASPL e conheça o nosso Parecer sobre a proposta do ME de alteração ao diploma dos concursos e da vinculação

A USI - União de Sindicatos Independentes - Confederação Sindical acaba de relançar a revista O FORUM. 

Leia a edição de outubro, aqui.                                                           

Ação de formação “PEI, CEI e PIT – da Planificação à Implementação”, com início no próximo dia 12 de novembro, na Escola Secundária Jorge Peixinho, no Montijo. 

Recordamos que na sequência da publicação da lista ordenada definitiva de candidatos não colocados ao concurso para seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente da educação, dos ensinos básico e secundário e do pessoal docente especializado em educação e ensino especial para o ano escolar de 2016/2017, informamos que os candidatos que pretendam manter-se no concurso devem manifestar essa vontade, por via eletrónica, através da Aplicação de Gestão Integrada de Recursos – Recursos Humanos, em http://agir.madeira.gov.pt, nos seguintes momentos:
• De 15 a 16 de outubro;
• Nos dois primeiros dias úteis dos meses seguintes e até janeiro de 2017.

O Dia Mundial dos Professores, comemorado a 5 de outubro, é uma data celebrativa das virtudes e da importância da nossa profissão, mas é também uma oportunidade, que a UNESCO tão bem utiliza, para relembrar os grandes desafios e constrangimentos que afetam os docentes.
Neste ano, o mote “Valorizar os docentes, melhorar a sua condição profissional” reflete uma das maiores preocupações internacionais que abalam os professores e educadores, mas também os próprios sistemas educativos e, evidentemente, o próprio futuro das nações.
O desfasamento entre a importância social da profissão docente e a sua real valorização compromete o desempenho, pois, não obstante o professor ter, regra geral, um espírito de missão que o leva a concentrar-se nos seus alunos, a verdade é que anos a fio de desvalorização social e económica acentua o desgaste natural de uma profissão muito exigente.
Assim, não é de estranhar que a generalidade dos estudos que se focam na profissão docente demonstre claramente que os docentes são dos trabalhadores que mais se sentem desvalorizados e cansados.
Neste início de ano letivo, a Fundação Manuel Leão publicou uma nova investigação que vem reforçar o alargado conjunto de produção científica neste campo e com resultados condizentes com estudos recentes e com a realidade tão bem conhecida de todos nós, professores.
O questionário, que foi aplicado em escolas públicas e privadas, revela, por exemplo, que 91% dos professores considera que nos últimos anos diminuiu o prestígio da sua atividade, 85% entende que o Ministério da Educação não valoriza o seu trabalho e 84% dos professores considera que a sociedade não valoriza a profissão docente.
Ainda mais preocupante é o facto de 32,3% dos docentes considerar-se "exausto" e "desiludido".
Igualmente alarmante é a percentagem de docentes (87%) que afirma que sente que diminuiu o tempo e as condições que os professores têm para refletir sobre as suas práticas educativas.
As causas da insatisfação são, como sabemos, variadas, mas é a falta de reconhecimento profissional (57%) e a indisciplina na sala de aula (52%) que marcam negativamente a maioria dos docentes. De resto, e no seguimento deste último indicador, 74% dos professores sentem-se insatisfeitos com os pais por "não se preocuparem com a educação dos filhos".
Este estudo apresenta uma imagem da profissão docente que espelha as dificuldades quotidianas que todos os professores sentem. Pode ser consultado na íntegra em http://www.fmleao.pt/wp-content/uploads/2016/09/FML_PREOCUPACOES_MOTIVACOES_PROFESSORES_FINAL_baixa.pdf,
A ASPL, desde a sua fundação, tem pautado a sua atuação pela defesa intransigente dos professores e educadores de Portugal, lutando pela valorização da profissão e pela qualidade do ensino.Estes dois vetores são faces de uma mesma moeda que é impossível dissociar sob pena de acumularmos, como no passado, reformas políticas e estruturais do sistema educativo que, na prática, não alcançam os objetivos preconizados.
A valorização da profissão docente é, como provam os estudos, a imprescindível condição para melhorar a educação e o ensino. Os investigadores, os professores e os educadores sabem disso, os decisores políticos, se sabem, esquecem-se disso. Cá estará sempre, a ASPL para os relembrar!
 
 
Caro colega, tenha um feliz dia Mundial dos Professores. Bem o merece!
                                                                                                             
                                                                       
                                                                  A Direção Nacional da ASPL